Turismo Sustentável - APA GUAPIMIRIM

Dos manguezais à Baía de Guanabara

 

Os pontos fundamentais que o plano de desenvolvimento sustentável aplicado ao Circuito de Ecoturismo almeja respeitar são: a autenticidade cultural, a inclusão social, a conservação do meio ambiente, do patrimônio cultural e valores locais; a qualidade dos serviços, processos e atitudes; a capacidade de gestão local e respeito à legislação vigente. Na ESEC Guanabara, integra a educação ambiental à interpretação das rotas aquáticas.

A proposta é a implementação de circuito no qual seja possível a integração de pequenas rotas com temáticas,  tais como: cênica; de observação de aves; cultural e histórica; pesca e aventura; entre outras. Cabe  observar que, consideramos atrativo turístico como “todo lugar, objeto ou acontecimento de interesse turístico e motiva o deslocamento de grupos humanos para conhecê-los”. (BENI, 2001, p.297).

O Circuito de Ecoturismo da APA GUAPIMIRIM, foi aprovado pelo Instituto Chico Mendes de Proteção a Biodiversidade (ICMBio), com suas condicionantes relativas a capacidade e controle de carga sendo integrado ao Plano de Manejo da APA GUAPIMIRIM e ao Plano de Manejo da ESEC GUANABARA.

 Dentro dos princípios do Turismo Sustentável, o Innatus desenvolveu de 2006 até 2009 o Circuito de Ecoturismo e Desenvolvimento Sustentável da APA GUAPIMIRIM, projeto 031 PDA/MA , com financiamento da Cooperação Internacional Brasil Alemanha, GIS, KFW, Programas Demonstrativos PDA,  Ministério do Meio Ambiente e Banco do Brasil. 

Todo o trabalho foi elaborado tendo como referência as normas do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC, o Plano de Manejo da APA Guapimirim, o Manual de Ecoturismo de Base Comunitária: ferramentas para um planejamento responsável/ WWF Brasil e a Capacidade de Carga em Unidades de Conservação, com algumas adaptações para a região.

 Os pontos fundamentais que o plano de desenvolvimento sustentável aplicado ao Circuito de Ecoturismo almeja respeitar são: a autenticidade cultural, a inclusão social, a conservação do meio ambiente, do patrimônio cultural e valores locais; a qualidade dos serviços, processos e atitudes; a capacidade de gestão local e respeito à legislação vigente. Na ESEC Guanabara, integra a educação ambiental à interpretação das rotas aquáticas.