RIO +20 Discute a Importância do Sistema de Montanhas

Mais da Metade da Água do Mundo É Produzida nas Montanhas

Os sistemas montanhosos bem preservados são essenciais para o Desenvolvimento Sustentável. As montanhas garantem alguns dos serviços mais importantes para a sobrevivência da vida no planeta e até para o funcionamento das cidades. Um dos mais importantes momentos da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (RIO + 20) foi a discussão sobre os sistemas de montanhas no mundo.

O Mosaico Central Fluminense tem como característica a presença da Serra do Mar com pontos acima de 2 mil metros de altitude, vegetação submontana e Campos de Altitude.

Aconteceu durante a RIO + 20 a Terceira Reunião Global de Sistemas de Montanhas no pavilhão de Montanhas montado no Parque dos Atletas. O Brasil se manifestou a favor da criação de Parques Nacionais e do Ecoturismo responsável.

O primeiro Parque Nacional brasileiro, criado em 1937, foi Itatiaia, localizado na Serra da Mantiqueira e o terceiro foi o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, criado em 1939 e pertencente ao Mosaico Central Fluminense (MCF). O Parque Estadual dos Três Picos (PETP) que também compõe o MCF é composto principalmente por sistemas montanhosos com picos de mais de 2 mil metros de altitude. A água produzida no PETP abastece grande parte da produção de alimentos frescos (hortas e fruticultura) consumidos pela população da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. No MCF temos várias Unidades de Conservação com características de montanha como o Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis, o Monumento Natural Pedra do Elefante em Petrópolis e o Monumento Natural Pedra das Flores em São José do Vale do Rio Preto que é um típico Campo de Altitude. As Áreas de Proteção Ambiental de Petrópolis e de Macaé de Cima também possuem várias montanhas com Mata Atlântica de Altitude muito bem preservadas.

Esportes radicais, montanhismo, alpinismo e turismo em trilhas e cachoeiras são as principais atividades que acontecem nas Unidades de Conservação do MCF localizadas na Serra. No território do MCF também temos algumas Unidades de Conservação de Proteção Integral e uso restrito com ambientes montanhosos bem preservados como a Reserva Biológica do Tinguá e a Reserva Biológica de Araras. As duas Reservas são muito importantes para a produção da água que abastece cidades e áreas agrícolas.

Algumas informações muito importantes sobre as montanhas foram divulgadas na Conferência do Rio:

  • Montanhas cobrem cerca de 27% da superfície terrestre;
  • Cerca de 17% da população mundial (1,2 bilhões) habita em ambientes de montanha;
  • Montanhas são responsáveis pela produção de cerca de 60% da água consumida pela humanidade;
  • Montanhas são o principal destino de turismo do mundo;
  • Mais de metade dos chamados hotspots da biodiversidade estão nos ambientes de montanhas.

No entanto, temos alguns dados negativos relacionados com os ambientes montanhosos:

  • 1/4 da população mais pobre do planeta habita nas montanhas;
  • Montanhas são ambientes extremamente sensíveis aos efeitos das mudanças climáticas - o derretimento das geleiras já é observado em diversos locais;
  • Grande parte dos desastres ambientais (intensificados pela ocupação irregular humana e pelo desmatamento) ocorrem em ambientes montanhosos com destaque para os deslizamentos de terra e as enchentes.

 

O objetivo principal da parceria internacional para discutir os ambientes de montanhas é promover um amplo diálogo para proteger essas áreas e evitar desastres ambientais como a tragédia que atingiu a Região Serrana do Rio de Janeiro em janeiro de 2011.

Uma das preocupações é o fortalecimento da participação dos povos de montanhas e o respeito às suas tradições culturais e conhecimentos. Leis e mecanismos específicos de controle devem ser estabelecidos para os territórios montanhosos do mundo. As montanhas localizadas nas regiões tropicais e subtropicais são responsáveis por grande parte da biodiversidade do planeta e estão ameaçadas pela expansão urbana e o desmatamento. Diversas espécies endêmicas são encontradas nos ambientes montanhosos e muitas extremamente ameaçadas de extinção.

Várias nações estão implantando programas especiais para a proteção das montanhas, preocupados principalmente com a produção de água, a qualidade do ar e a manutenção da biodiversidade. Na Rio+20 as montanhas ganharam um status especial e são agora consideradas sistemas cruciais para a implantação de políticas de proteção. Outros setores, além do ambiental, estão também destacando a importância dos ambientes de montanha. A conservação das montanhas está diretamente relacionada com segurança alimentar e produção de energia (parte relevante da produção energética do mundo ocorre em usinas hidrelétricas localizadas nas montanhas). As Unidades de Conservação do MCF têm uma função extremamente relevante para a preservação de nossas montanhas e projetos de conservação, restauração florestal, conscientização, planejamento territorial e de uso responsável necessitam ser fortalecidos.

Francisco Pontes de Miranda